domingo, 12 de novembro de 2017

O diferencial da tecnologia japonesa e o uivo tupiniquim

Sem entrar diretamente na complexa questão da invasão de supostos trabalhadores campônios ligados ao Movimento dos Sem-Terra a uma propriedade privada, uma fazenda pertencente a uma família de japoneses, nestes dias de novembro, o que mais me chamou a atenção mesmo foram os uivos selvagens e fanáticos da turma de mascarados.
Depois o que me veio à mente foi o diferencial para a cultura nipônica e a tecnologia das fábricas do país do sol nascente. Todas multinacionais com filiais nos cinco continentes, inclusive na América do Sul, precisamente em território tupiniquim, onde se encontra uma das maiores concentração de descendentes da nação do imperador Akihito, ao lado do Peru.
Enquanto os desordeiros invadem uma fazenda produtiva, na cidade de Correntina, no oeste da Bahia, os japoneses – sem terem inventado o automóvel, a motocicleta, o televisor, a máquina fotográfica e relógio – tem as maiores e mais respeitadas marcas destas áreas industriais.
Vejamos: autos (Toyota, Honda, Daihatsu, Nissan, Suzuki, Mazda, Mitsubishi, Subaru, Isuzu, Kawasaki, Yamaha e Mitsuoka); motos (Yamaha, Kawasaki, Honda e Suzuki) e eletrônicos (Pentax, Nikon, Canon, Sony, Casio, Citizen, Fujifilm, Hitachi, NEC, Nitendo, Olympus, Panasonic, Pioneer, Ricoh, Seiko, Sharp, TDK e Toshiba.

A Fazenda Iragashi cultiva batatas, cenouras, feijão, tomate, cebola, soja, entre outros. O crime aconteceu na quinta-feira (2). Cerca de mil pessoas participaram da depredação. Parte dos invasores se concentrou na entrada da cidade para novos “protestos”. O caos só teve fim após a Polícia Militar garantir que ninguém seria preso. Para os proprietários, só resta o prejuízo absurdo.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Uma homenagem póstuma para Zé Maia

Não pude ir ao velório e sepultamento do amigo José Maia, falecido esta semana, em decorrência de seqüelas de acidente vascular cerebral, o AVC.
Como testemunha ocular do empenho dele pelo esporte amador, principal o futebol, a partir de meados dos anos 90, com total apoio do ex-presidente da Câmara de Vereadores de Natal, o torcedor do Fluminense e abecedista Edmilson Lima.
Zé, torcedor americano e botafoguense, foi o principal articulador para o aproveitamento de uma área, entre os conjuntos Pirangi e Jiqui, na Zona Sul da capital potiguar, transformada em um pequeno estádio de futebol, dotado de vestiários, gramado e iluminação.
O equipamento esportivo passou a ser local de encontro de futebolistas amadores e antigos jogadores aposentados. Em homenagem transcrevo reportagem do Diário de Natal sobre uma audiência pública no Poder Legislativo municipal, publicada na edição de 30 de março de 2010.

“A destinação do campo foi tema de audiência pública desta quarta-feira (3), por iniciativa do vereador Júlio Protásio (PSB). A área não possui regulamentação, servindo para a prática de esporte na comunidade e as atividades de um centro comercial.
O ministério público impetrou uma ação questionando o uso da área pública em benefício de particulares. Segundo o presidente do Centro Esportivo do Jiqui, José Maia, não houve sequer uma visita do órgão ao local.
“O Centro serve a comunidade não só do Jiqui, mas a toda Natal. Não temos como manter o campo sem a verba já que a Prefeitura não tem gastos com o esporte na comunidade”, pontua.
Outro questionamento do Ministério Público seria sobre a cobrança de taxas à comunidade que estaria limitando a participação da comunidade mais carente. “Se chegar alguém alegando que não tem como pagar a taxa, que serve unicamente para a manutenção do campo, não deixa de jogar. Cuidamos do campo, sem deixar falta a estrutura necessária para o esporte na comunidade. Essa é uma função social que não pode acabar no bairro”, declara José Maia.
O representante dos comerciantes, Glênio Chagas Queiroz, lembrou o papel social do centro ao evitar que o bairro abrigasse uma favela no local. “O que existia antes era um abandono total e uma invasão de posseiros que poderia causar um impacto negativo na comunidade do Jiqui com problemas inerentes a esse tipo de ocupação”, justifica.
Segundo ele, o objetivo maior da construção do centro é a valorização do esporte. “O Jiqui sempre foi destaque na prática esportiva, craques renomados passaram por este centro. Com muito sacrifício levantamos aquela área construída. Comerciantes dedicaram toda uma vida ao comércio, pagam IPTU, possuem alvará e não acho justo chegar ao ponto de acabar uma área importante para a comunidade”, alega.
Segundo o secretário adjunto da secretaria municipal de Esporte e Lazer, Robson Coelho, não é intenção requerer a área, mas de regularizar junto ao Ministério Público a situação. “Temos em Natal 19 campos e 19 quadras. É inegável que a Prefeitura não tem como arcar com a manutenção de todas essas instalações. A minha sugestão é que seja feita uma minuta de cessão de usos para que os centros esportivos não só de Jiqui, mas também de todos os outros bairros que enfrentam ação semelhante, possam continuar a prática do esporte. O Ministério Público achou excelente a idéia, desde que uma série de critérios de funcionamento sejam fixadas”.
As regras deveriam cumprir com algumas diretrizes, como abrir gratuitamente em determinados dias da semana para a comunidade. O vereador Júlio Protásio, acredita que deve haver uma reunião entre o Ministério Público, comerciantes, comunidade para que haja um acordo para solucionar o impasse. Para o uso do centro comercial, vamos viabilizar uma minuta de lei autorizando a área pública para o uso comercial. “Vamos lutar em prol da regularização da área, garantindo a prática do esporte na comunidade do Jiqui”, ressalta.

O vereador Chagas Catarino apresentou sensibilidade à causa, como apreciador e esportista de futebol. Os vereadores Hermano Morais (PMDB) e Júlia Arruda (PSB) justificaram ausência. O Ministério Público justificou sua ausência na audiência, tendo em vista outros compromissos."

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O jogo político local dos sem carisma e sem voto

Salvo alguma novidade de última hora o governador Robinson Mesquita de Faria (PSB), como é o ocupante da “giroflex”, é candidato natural a reeleição. Quanto aos outros pretendentes ao governo estadual, afirmo, sem medo de errar, que nenhum é líder carismático ou tem cabedal eleitoral para tanto.

Dessa turma apenas quem tem voto cativo é a senadora paraibana com domicílio eleitoral no Rio Grande do Norte, a professora secundária Maria de Fátima Bezerra, do Partido dos Trabalhadores. Mesmo assim dos filiados e fanáticos simpatizantes do PT.

Enquanto o governador não arreda pé de candidatar-se para o segundo mandato ao Poder Executivo, comenta-se que o futuro político do vice-governador, Fábio Berckman Dantas, passa por três vias: continuar como escudeiro mor, alcançar uma vaga no Poder Legislativo (deputado federal) ou concorrer pela majoritária, rumo ao Senado, contra os senadores Garibaldi Alves Filho (PMDB) e José Agripino Maia (Democratas).

Neste caso ele pode surpreender e deixar a deputada federal Zenaide Maia (PR) a ver navios, apesar de ser a primeira a ventilar o nome para uma das duas cadeiras em disputa para a senatoria, já que Maria Bezerra ainda tem a metade do mandato de oito anos pela frente, e não tem nada a perder no atual quadro.

Assim sendo, Dantas deixará o governador a vontade para negociar a composição da chapa com outra sigla e ainda continuaria com total apoio do Partido Comunista do Brasil, um dos espectros vermelho radical, ou quase, da esquerda nacional.


E com base mantida em um dos dois principais colégios eleitorais do Agreste, o município de São José do Mipibu, nau capitaneada pelo pai do vice, o prefeito Arlindo Dantas.

sábado, 14 de outubro de 2017

Conheça um pouco do mais novo bairro de Parnamirim

Muitos ainda não sabem. Exceto os moradores ou residentes temporários, poucos estão cientes. Mas ele existe. É o mais novo bairro do município de Parnamirim (região metropolitana). Trata-se do bairro “Encanto Verde”, criado pela lei ordinária 1.786, de 14 de junho do ano passado, a partir de projeto do vereador Valério Felipe Santiago, e sancionado ainda na gestão do ex-prefeito Maurício Marques dos Santos.

O bairro fica na divisa com as vizinhas Macaíba e Natal. “Nasceu”, praticamente, de dois embriões. Primeiro em 2000. Com a construção do conjunto residencial “Parque Zona Sul” (Coophab), abrangendo uma área com 209 lotes, 21 ruas e sete condomínios. Em 2015 a empresa Estratégia Empreendimentos Imobiliários investe e vende 872 lotes, com 18 ruas, com nomes de bairros de São Paulo, a maior metrópole nacional.

A populosa comunidade tem como padroeira Nossa Senhora de Guadalupe, sendo a primeira diaconia do Rio Grande do Norte, cuja capela foi erguida na administração do diácono Francisco Júnior Feitosa. Atualmente tem como administrador o padre José Moreira de Lima, da paróquia Beato Ambrósio Francisco Ferro, do bairro Planalto.

Nossa Senhora de Guadalupe é padroeira da América Latina, cuja aparição é comemorada em 12 de dezembro. A missa dominical é realizada ás 16 horas, o terço dos homens na terça (19h30) e o louvor e adoração na quinta, no mesmo horário.


Atualmente o Conselho Comunitário é presidido por Vanise Azevedo C. Carrilho, tendo como vice Vilma Ramos Freire. A nova diretoria foi eleita em julho para a gestão que se prolonga até 2020. O novo grupo tem obtido apoio do prefeito Rosano Taveira na solicitação de benfeitorias em diversas áreas, como calçamento de ruas.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Prefeito cassado de Galinhos tenta reverter quadro difícil

No dia de ontem os advogados do prefeito afastado do município de Galinhos (litoral norte), Fábio Rodrigues, entraram com embargos declaratórios na Ação de Investigação Eleitoral, movida pelo ex-candidato José Morais Pereira e pela coligação “Um Por Todos e Todos por Um”, para que sejam esclarecidos pontos da sentença da juíza Cristiany Maria de Vasconcelos Batista, em 21 de setembro, que cassou o mandato dele e do vice Afrânio Reis Cavalcante.

Na mencionada sentença foi atribuído ao prefeito cassado e ao seu vice a conduta de fazerem 186 nomeações para cargos comissionados entre maio a junho de 2016, aí inseridas também nomeações de parentes de vereadores e captação ilícita do sufrágio.

Apesar dos prazos eleitorais serem curtos e da celeridade da Justiça Eleitoral, a demora de 20 dias entre a sentença e a peça de defesa apresentada pelos defensores do prefeito, foi, principalmente, devido à mudança do Cartório Eleitoral de Galinhos, que antes estava localizado no município de Macau e que, por determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), foi transferido para o Cartório Eleitoral do município de São Bento do Norte.

O Cartório Eleitoral, por sua vez, recebeu a peça de defesa e encaminhou o processo de imediato para parecer do representante do Ministério Público Eleitoral, que deverá, até a próxima semana, devolver o processo e emitir o seu parecer, quando, em seguida, o juiz eleitoral da Comarca de São Bento do Norte, Bruno Montenegro Ribeiro Dantas, se pronunciará sobre a defesa.

A expectativa é que a sentença que cassou o mandato do prefeito Fábio Rodrigues e do vice Afrânio Reis seja remetida para julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no máximo, até o final deste mês.

Tribunal Regional Eleitoral
O julgamento deste processo se realizará de imediato, isto é, em pouquíssimos dias, pois a pauta de julgamento deste Tribunal Eleitoral se encontra zerada.

Significa que, em novembro, os Rodrigues e Cavalcante, provavelmente, não estarão mais ocupando os cargos, caso o TRE mantenha a sentença que condenou ambos por cometer irregularidades e ilegalidades nas eleições do ano passado.

O presidente da Câmara de Galinhos, Francinaldo Silva Cruz, assumirá a Prefeitura até a realização de novas eleições,quando a população deverá escolher, pelo voto, o novo prefeito e vice-prefeito da cidade.

Mais processo
A situação política e eleitoral do prefeito Fábio Rodrigues é bastante complicada, pois o mesmo também responde outro processo movido pelo ex-prefeito Ricardo Araújo, o candidato José Morais Pereira e pela Coligação, que se encontra em andamento na Justiça Eleitoral em segredo de justiça, por ser, conforme se comenta, as acusações de prática de irregularidades e ilegalidades relevantes e de alta gravidade, praticadas pelo atual prefeito.


A previsão é que a sentença neste processo venha a ser prolatada até novembro deste ano.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Micro empresa e firma individual são os vagonetes da locomotiva

Produtos alimentícios manufaturados, de origem animal ou vegetal, são a locomotiva que puxa o trem ou comboio da iniciativa privada norte-rio-grandense.

Principalmente dos micro-empresários individuais, sendo esta uma das alternativas para o enfrentamento ao desemprego e a falta de trabalho.

Basta verificar as gôndolas e prateleiras dos grandes supermercados, lojas de conveniências, mercearias, padarias e pequenos estabelecimentos comerciais espalhados nos bairros mais afastados do centro.

As ofertas de comidas populares e regionais fazem parte da mistura que pode ser posta na mesma da classe média baixa ou dos mais pobres, no cotidiano do café da manhã ou no jantar, costumeiramente a última refeição do dia.

Numa panificadora e conveniência da Avenida São Miguel dos Caribes, no Conjunto Jiqui, no bairro de Neópolis (Zona Sul), pode-se comprar o pastelzinho de carne, com dados de fabricação (data limite de consumo e ingredientes).

A goma de mandioca, para a feitura caseira da tapioca, vem do Sítio de Dentro, zona rural do município de Lagoa Nova, na Região do Seridó, no interior do Rio Grande do Norte.

A tapioca (dos tipos molhada ou seca) e o grude, da comunidade ‘Vale do Sol’, periferia da cidade de Parnamirim, na região metropolitana da capital potiguar ou Grande Natal.

O Cuscuz de milho vem do bairro de Felipe Camarão, precisamente da Zona Oeste, uma das quatro divisões administrativas de Natal.

A manteiga do sertão seridoense. E o queijo artesanal (De coalho ou manteiga). E o soro para fazer a coalhada ou a mesma prontinha. Para consumo rápido. De Caicó.

Em um mercadinho da mesma avenida, o ‘Sabor do Sertão’, também se nota a variedade de produtos de origem sertaneja, principais coadjuvantes das marcas mais famosas e produtos industrializados das regiões mais ricas ou estados mais fortes na economia.

Ainda no mesmo logradouro, somente para mais um exemplo, o Centro Comercial do Conjunto Jiqui, localizado na central Avenida das Lagoas, há diversas lojas e mercadinhos.

O acesso principal é pelo túnel da rodovia federal da BR-101 (Neópolis), próximo ao atacado do Makro, de quem vem do centro da cidade.

Outro local com diversas lojas é o centro comercial do campo de futebol do Jiqui, na mesma avenida. Na Avenida São Miguel dos Caribes o natalense ainda pode encomendar o alto-falante ou caixa de som para seu carro, comércio ou igreja.


Sede do América é tema de tese de pós-graduação

Pouca gente sabe que a sede da Rua Rodrigues Alves, no bairro do Tirol (Zona Sul), consta fotografia da mesma na enciclopédia Delta Larousse, assim como foi alvo de tese de mestrado ou pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte pelo artista plástico Isaías da Silva Ribeiro, morador da Rua Açuí, Conjunto Boa Vista - Bairro Nordeste (Zona Oeste). O título da obra acadêmica: “América Futebol Clube (Natal/RN) – Existe uma integração das artes?”

Isaías Ribeiro faz um diagnóstico da arquitetura moderna na cidade, citando diversos prédios ou edificações, entre elas a sede social americana, tendo incluso reportagem do jornalista esportivo Everaldo Lopes, com passagens pelo DIÁRIO DE NATAL e TRIBUNA DO NORTE.

Eis o texto: - O bairro do Tirol teve duas fases: antes e depois da majestosa sede do América na Avenida Rodrigues Alves. Até o final dos anos 50 havia a pequena sede social localizada no mesmo terreno, porém com a frente para a Rua Maxaranguape.

As festas na “Babilônia” praticamente fechavam as ruas próximas ao clube e, no Carnaval, virava um pandemônio. As grandes noitadas de Momo reuniam cinco mil pessoas, que ninguém sabe como cabiam ali dentro.
A partir daí, o bairro virou zona nobre da cidade, o preço [dos imóveis] foi para as alturas. Diziam até, que ser presidente do América seu prestígio só ficava abaixo do governador e do prefeito.

HISTÓRICO
O terreno da nova sede foi adquirido em 1929 junto ao Estado, pelo presidente do clube, José Gomes da Costa (auxiliado por Orestes Silva, tenente Júlio Perouse Pontes, Clóvis Fernandes Barros e Osmar Lopes Cardoso, parente de Everaldo), com recursos próprios.

A área foi então doada ao América, abrangendo todo o quarteirão onde hoje está plantado o seu maior patrimônio, a imponente sede foi inauguração no dia 14 de julho de 1966. Com painel, no salão principal, pintado pelo norte-rio-grandense Newton Navarro.

O projeto de arquitetura data do ano de 1959, de autoria do arquiteto Delfim Fernandes Amorim (1917, Póvoa do Varzim, no Porto, Portugal), professor do curso de arquitetura da Escola de Belas Artes de Recife.
Em 1947 terminou o curso de arquitetura na escola de Belas Artes da cidade do Porto. Teve importante atuação na produção arquitetônica de Portugal e foi professor assistente na cadeira de Grandes Composições na mesma escola que se formou, durante os anos de 1950 e 1951.

Chegou ao Brasil no final do ano de 1951, fixando-se no Recife, onde residiam familiares e amigos. Faleceu em 1972, na capital pernambucana.



segunda-feira, 2 de outubro de 2017

O Barcelona e o Espanhol vão jogar contra quem?

Independentemente da política e da causa, sempre que surge assunto sobre a decisão do povo catalão escolher pela saída da união com a secular monarquia espanhola, lembro um problema que afeta diretamente os torcedores dos dois clubes de futebol de Barcelona, a capital.
O mais famoso e mais rico (cores azul e grená) tem o nome da cidade. O segundo, azul e branco, leva o nome do gentílico do maior País da península ibérica, parede e meia com o vizinho menor em território e população (Portugal).
Barcelona e Espanhol, por razões históricas que não cabe, aqui, dissecar, são rivais. Como acontece em outras cidades e capitais européias: Milan x Internazionale, Roma x Lazio, Benfica x Sporting, Rangers x Celtic, em Glasgow (Escócia), no Reino Unido.
Atualmente a Liga Espanhola é disputada por 18 clubes. E, tradicionalmente, os maiores adversários, justamente, são os dois grandes da capital, Madrid: o “merengue”, pela camisa alva, Real, e o “colchonero”, vermelho e branco, Atlético.
Configurando-se a independência da Catalunha fica pergunta: “Vão sair do campeonato?”


A mídia nova e a antiga na cobertura dos mártires de Uruaçu

Nos anos 90 e nas duas décadas seguintes, por motivos políticos, administrativo e, claro, religiosos, foi alçada, a uma maior cobertura da imprensa, rádio e televisão e, agora, pela internet (rede mundial de computadores), via portais, sites e blogs, a comemoração do Dia dos Mártires de Uruaçu, no município de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana da capital potiguar.

Porém houve um tempo em que o acontecimento histórico passado no século XVII era lembrado por um jornal ligado a Igreja Católica, “A Ordem”, fundado por pessoas componentes da Congregação de Moços Marianos de Natal, que, também, faziam parte do Centro de Imprensa da Arquidiocese.

Em 1932 o movimento “Boa Imprensa” fundou o impresso católico, que passou a ser editado três anos depois, em 35, quatro ou cinco meses antes da eclosão do movimento que ficou conhecido como Intentona Comunista (novembro), denominação criada pelo jornalista paraibano Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo.

Pois bem, é o jornal católico que informa na primeira (capa) das quatro páginas, edição 1.796 (quinta-feira, 2/10), sobre uma romaria do Seminário São Pedro ao local do morticínio praticado pelos invasores holandeses , tendo como vítimas o padre Antonio Ferro, o colono  Matias Moreira e demais moradores, com poucos sobreviventes.

Naquela ocasião a missa campal foi celebrada pelo padre Nivaldo Monte, futuro arcebispo, com acompanhamento do cônego José Adelino, depois bispo, e do bispo de Natal, dom Marcolino Dantas.

Também compareceu ao evento o escritor Luís da Câmara Cascudo. E a banda de música dos escoteiros do Alecrim. Todos recebidos pela professorinha do lugar: Judite dos Santos. 

sábado, 23 de setembro de 2017

Antecedentes da campanha originaram a cassação do prefeito de Galinhos

As eleições municipais de 2016, no que se refere ao Município de Galinhos (litoral norte), por diversos motivos ocorridos no pleito, pode ser considerada atípica ou mesmo bizarra, para a história política e eleitoral do Rio Grande do Norte.
A disputa eleitoral foi polarizada entre o prefeito Fábio Rodrigues e o candidato José Morais Pereira, representante do grupo político do ex-prefeito Ricardo Araújo. A razão da polarização nas eleições entre o prefeito e o ex-prefeito é evidente pelo simples fato de Fábio Rodrigues, após utilizar a liderança política do ex-prefeito Ricardo Araújo para eleger-se vice-prefeito na chapa que fez prefeita a indicada de Ricardo Araújo, na primeira oportunidade, inexplicavelmente, tornou-se inimigo do ex-prefeito e fazendo uso de artimanhas, atingiu o seu objetivo, assumindo o lugar de prefeito em meados de 2016, passando a concorrer nas eleições do ano em curso como prefeito.
Apesar do prefeito cassado, Fábio Rodrigues, ter sido o vitorioso na disputa, conseguindo reeleger-se, por outro lado, há quem diga que o mesmo perdeu a guerra para o ex-prefeito Ricardo Araújo, por utilizar-se de meios e métodos não republicanos para ganhar a eleição. Atitudes questionáveis e ilegais comprovadas em ação movida por José Morais Pereira e pela “Coligação Um Por Todos e Todos por Um” contra Rodrigues, corroboradas na sentença proferida pela juíza Cristiany Maria de Vasconcelos Batista, em 21 de setembro.
Pela simples leitura da sentença ficaram demasiadamente comprovados os graves abusos cometidos pelo prefeito Fábio Rodrigues, no exercício do cargo, quetiveram capacidade ou potencial suficiente para influenciar o eleitorado, tornando ilegítimo o resultado do pleito.
Na sentença foi atribuído ao prefeito Fábio Rodrigues e ao vice-prefeito Afrânio a conduta de fazerem 186 nomeações para cargos comissionados no período de maio a junho de 2016, aí inseridas também nomeações de parentes de vereadores.
Nomeação e exoneração
O que causa espanto é o fato de que são 230 servidores efetivos e 2.361 eleitores aptos a votar. Ou seja, o prefeito, como ficou provado nas palavras das testemunhas e nos documentos acostados aos autos, como Diário Oficial do Município de Galinhos com as nomeações mencionadas, microfilmagens de cheques, contratos de prestação de serviços e comprovantes de transferências bancárias, estes juntados pelo próprio investigado e prefeito Fábio Rodrigues, praticou de forma aviltante e destemida, captação ilícita de sufrágio, principalmente quando exonerou ou demitiu, dia seguinte às eleições e poucos meses depois, todos esses cargos comissionados, demonstrando, primeiro, a desnecessidade dos mesmos para o município e segundo, o uso da máquina administrativa em seu favor, no intuito apenas de ganhar às eleições. Ficou comprovado no processo, que foram exonerados 84 desses servidores, sendo 34 no dia 4 de outubro, 44 no dia 1 de novembro e outros seis em 1 de dezembro de 2016.
As provas estavam tão numerosas e claras que não restou a juíza outra alternativa, a não ser cassar os diplomas de Fábio Rodrigues de Araújo e Afrânio Reis Cavalcante, decretando-lhes a perda dos mandatos. No que se refere ainda ao prefeito investigado Fábio Rodrigues, a magistrada decretou a inelegibilidade do mesmo pelo período de oito anos, a partir das eleições de 2016. A juíza ainda deixou de determinar o afastamento imediato dos investigados cassados dos respectivos cargos, tendo em vista o efeito suspensivo. Determinou também que deverão ser realizadas novas eleições, após o trânsito em julgado da sentença.
A população de Galinhos, após se sentir também traída e usada dolosamente pelo Fábio Rodrigues e na esperança de ver o prefeito e a primeira dama Aracely longe do Poder Executivo, já havia criado o movimento “FORA FÁBIO”.
O povo conta também conta com a promessa do ex-prefeito Ricardo Araújo, que prometeu que só colocaria os pés novamente na cidade de Galinhos, depois que o prefeito Fábio saísse. Ricardo Araújo já tem o primeiro requisito decisivo para cumprir com sua promessa, que é a sentença cassando o prefeito Fábio Rodrigues.
Falta apenas o segundo requisito, que é a confirmação da cassação junto ao Tribunal Regional Eleitoral, para, aí sim, ter a sua promessa cumprida junto ao povo de Galinhos, pondo fim agrande expectativa em torno do esperado reencontro entre ele e a população do município.


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

O jogador de apelido Botafogo!

O desaparecido jornalista potiguar José Procópio Filgueira Neto, no começo dos anos 90, no livro 'Os Esportes em Natal', relaciona os apelidos curiosos dos jogadores de futebol no Rio Grande do Norte, entre os anos 30 e 50.

Porém não lembro que tenha inserido a alcunha do atleta “Botafogo” como atesta a ficha do jogo América 5 – 0 Santa Cruz pelo campeonato potiguar, realizado no Estádio Juvenal Lamartine, com arbitragem de Gevanir de Freitas, no domingo, 1/8/55. Gols: Joca (contra/primeiro tempo), Gilvandro (2), Dieb e Abel.

Eis as escalações: América – Gerin, Artemio, Severo, Dico, Osi, Raminho, Gilvan, Dieb, Abel, Wallace e Gilvandro. Santa Cruz – Etinha, Joca, Varela, Zé Marques, Edmilson Piromba, Maurício, Amauri, Olinto, Botafogo, Toinho e Fumanchu.


Não tenho prova, mas, seria o jogador torcedor do clube carioca, que tirou o nome do bairro em que fica a sede, na Rua Wenceslau Brás, na Zona Sul do Rio? O bairro, por sua vez, refere-se a um fidalgo português, cujo nome vem dos canhões de uma nau lusitana...

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Everaldo Lopes, Rubão e a enciclopédia dos radialistas

Hoje, por meio de uma postagem do jornalista Rubens Manoel Lemos Filho, soube que o pai dele faz parte, como tópico ou verbete, da Enciclopédia do Rádio Esportivo Brasileiro, e por um acaso, nesta mesma tarde, encontrei na internet o comunicado a seguir.

“Uma investigação inédita do Grupo de Pesquisa Rádio e Mídia Sonora da Intercom, que abrange todo o território nacional e traça a trajetória de 231 profissionais que construíram e ainda constroem a história da radiofonia esportiva do nosso país”.

- Grupos de pesquisadores de todos os estados brasileiros – ao todo 121 pessoas – se dedicaram à tarefa de traçar um rico panorama de biografias de radialistas com representação real para a região de origem e, certamente, para o Brasil como um todo.

Relata ainda o site da Editora Insular sobre a obra esgotada: - Assim, percorrendo a nação de norte a sul, esta Enciclopédia do Rádio Esportivo Brasileiro traz histórias de vida que traçam um cenário dos desafios enfrentados, das grandes coberturas, da criação de bordões, das vitórias e derrotas que já fazem parte da memória nacional, unindo os amantes do esporte por meio das transmissões radiofônicas.

O livro, organizado por Nair Prata e Maria Cláudia Santos, tem 360 páginas e foi editado em 2012. Entre os pesquisadores homens e mulheres.

Do Rio Grande do Norte a responsabilidade das informações coube ao jornalista e pesquisador Everaldo Lopes Cardoso, autor de importantes obras da literatura esportiva potiguar, como “Da Bola de Pito ao Apito Final” e, mais recentemente, “100 Anos de Bola Rolando.”


Além de Rubão, o único comentarista, Lopes relacionou os narradores Marco Antonio Antunes (falecido, gaúcho, gremista, que devido o vermelho do Internacional, tornou-se abcdista) e Hélio Câmara de Castro, além dos repórteres Mário Dourado, Souza Silva (estes também falecidos) e Ricardo Silva.

sábado, 5 de agosto de 2017

América/RN perde para a Juazeirense e precisa de milagre na volta

América 0 – 3 Juazeirense
Data: sábado, 5/8
Competição: Série D
Estádio: Adauto Moraes
Cidade: Juazeiro/BA
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira/MG
Gols: Alex Sandro 15/2, Nem 20 e Salatiel 40
América: Fred, Marcos Júnior, Dão, Paulão, Robson, Danilo Silva, Jonathas, Sidney (Richardson), Cascata (Guilherme), Uederson e Tadeu (Jean Silva). Treinador: Leandro Campos

Juazeiro: Tigre, Capone, Emílio, Sílvio, Waguinho, Deca, Júnior Gaúcho, Juninho Tardelli, Nem (Cleber), Salatiel e Alex Sandro (Rayllan). Treinador: Carlos Rabelo

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Senador comete gafe em discurso sobre a violência

O senador paraibano Raimundo Lira (PMDB), em discurso nesta sexta-feira (4), sobre a violência reinante no país, tendo como pano de fundo um assalto numa cidade satélite, que culminou com um comerciante conterrâneo baleado na cabeça e internado em estado de coma no Hospital de Base em Brasília (Distrito Federal), trocou as bolas.

Lira comparou os assaltantes de banco que atuam no interior do Brasil com os antigos cangaceiros, alcunhados de “novo cangaço”, porém citou o presidente Jusscelino Kubitschek de Oliveira (56/60) como o responsável pela eliminação do banditismo nordestino.


Na verdade o cangaceirismo histórico acabou entre 38, primeiro com a morte de Virgolino Ferreira (Lampião), e 40, com a eliminação de Cristino Gomes da Silva Cleto (Corisco, o Diabo Louro), durante o Estado Novo, do gaúcho Getúlio Dorneles Vargas.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

As bizarrices do regime bolivariano da Venezuela

Um ditador de “bigodón” é uma das semelhanças com o alemão Adolf Hitler e com  o russo Josef Stalin. As aparições histriônicas a exemplo do chefete morto, Hugo Chaves. O discurso melodramático ou fanfarrão. Tudo parece esconder uma mente fora da realidade. Porém cruel.

Além disso, os vídeos em que aparece ora saltitante, ora conversando com vacas. Em outro momento apresenta uma arma “secreta” para ser usada contra o povo. Na cidade ou no campo.

Trata-se de uma espécie de um fuzil (?) com base montada numa carrocinha de acento desconfortável. O artilheiro fica de costas para um motoqueiro responsável pelo transporte da geringonça bélica.

Nicolas Maduro é o espelho embaçado de um País arrasado financeiramente, economicamente, socialmente e psicologicamente.

Caracas perdeu as principais ligações aéreas: Gol, LATAM, Aeromexico, United Airlines, Iberia, Caribbean Airlines, Insel Air, Aruba Air, Air Canada, American Alines, Delta, Lufthansa, Avianca, Gol e Air France suspenderam as operações sem data para retorno.

A portuguesa TAP e a American Airlines ainda mantém os vôos internacionais para a Venezuela. É uma espécie de serviço público aos 400 mil emigrantes portugueses no país e que fonte oficial da companhia aérea diz que é para manter.

sábado, 22 de julho de 2017

América/RN vence o Ceilandia e joga pelo empate na volta pela Série C

América 1 – 0 Ceilandia
Data: sábado, 22/7
Competição: Série C
Estádio: Maria de Loudes Abadia
Cidade: Ceilandia/DF
Árbitro: Roger Goulart/RS
Gols: Jean Silva 31/2
América: Fred, Marcos Júnior, Dão, Paulão, Danilo, Sidnei, Jonathas, Guto (Richardson), Cascata (Guilherme), Tadeu e Uederson (Jean Silva). Treinador: Leandro Campos

Ceilandia: Artur, Dudu Lopes, Elivelto, Pedrão, Badhuga, Vitão (Edson Pacujá), Emerson Martins, Liel, Filipe Cirne (Carlos Henrique), Betinho e Dim (Lauro César). Treinador: Adelson de Almeida

domingo, 18 de junho de 2017

Movimento gay é desinformado e o repórter não sabe da história

“Em defesa do Estado laico e apoio ás ‘diretas já’, parada gay atrai multidão em SP.”

O título entre aspas é da reportagem do site Universo On Line (UOL) e reproduzida por um blog da capital potiguar.

No começo da manhã do sábado eu li uma nota de cinco ou sete linhas sobre o desfile da turma LGBT.

Em um primeiro momento não percebi. Entretanto, na madrugada deste domingo, ao ler outro texto detalhado algo me chamou a atenção: o lema.

- Independente de nossas crenças nenhuma religião é lei. Todos e todas por um Estado laico. Eis o tema de protesto da parada 21 do elegebete.

Desde a Proclamação da República (15/11/1889), com a Constituição subseqüente, que a Igreja (na época a Católica Apostólica Romana a mais influente junto ao II Império ou regime monárquico) é separada do Estado.


O resto da reportagem é só discurso 'discutível'...

sábado, 17 de junho de 2017

Polemico ensaísta eleva escritores nordestinos ao panteão da ciência social

O polemico filosofo paulista Olavo de Carvalho, radicado nos Estados Unidos da América, em postagem na rede social Facebook, em pequeno comentário sobre a prática das ditas ciências sociais, cita, categoricamente, o vácuo deixado pelo pernambucano Gilberto Freyre e o norte-rio-grandense Luis da Câmara Cascudo.

O jornalista e professor Olavo de Carvalho, que há quase uma década reside no Estado da Virgínia (costa leste), é devastador, como se nota no que escreve, sendo crítico contumaz quanto ao esquerdismo nacional.

Eis o que afirma: Eric Voegelin lembra que Max Weber fixou de uma vez para sempre um requisito essencial para a prática das ciências sociais: ninguém tem o direito de pretender ser um cientista social se não tem suficiente conhecimento comparativo de várias civilizações, tanto do Ocidente como do Oriente, em diferentes épocas do seu desenvolvimento.


Nesse sentido, desde as mortes de Gilberto Freyre e Luís da Câmara Cascudo não existe NENHUM cientista social no meio acadêmico brasileiro.

terça-feira, 13 de junho de 2017

No nascimento e na morte só existe homem ou mulher

Você pode ser operado, tirar a rola e por uma orelha de porco. Você pode por uma tripa de bode na vagina.

Entretanto, biologicamente e anatomicamente, continuará sendo, pela fisiologia, do sexo masculino ou feminino.

O gênero é humano. E o sujeito gramatical: “a” e “o”. Não muda a composição dos cromossomos y (feminino) e x (masculino) da hélice do DNA (ácido desoxirribonucléico) da célula.

E na medicina criminalística legal, para identificar se um esqueleto, por exemplo, é de homem ou mulher se recorre a Ciência e a técnica.

A pélvis ou a bacia, aquele grande osso do corpo, é diferente no homem e na mulher. São as medidas desiguais que possibilitam a identificação.

Dizia o saudoso e competente perito criminal do Instituto Técnico-Científico (ITEP), major Paz Pinto, em linguagem compreensível para o curioso repórter: - No homem a bacia é mais estreita e na mulher mais larga (o que dá a condição para o parto natural).


Em condições normais de reprodução da espécie... Outras questões são meramente de comportamento, de viés ideológico, do cérebro de cada de cada um, pois cabeça de gente é terra que ninguém anda...

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Venezuela planeja controle da internet

O governo comunista da Venezuela ameaça e está prestes a concluir o que o Partido dos Trabalhadores não conseguiu no Brasil: censurar e controlar ao modo esquerdista a internet.
Resumo da notícia: “A Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) local informa, nesta segunda-feira, que trabalha regulamento para eliminar o anonimato nas redes sociais. Uma equipe de investigação, com colaboração internacional, estaria estudando um mecanismo regulamentar.

Um funcionário considera que, por trás de cada conta ou perfil, deve haver uma pessoa autenticada, independentemente da plataforma utilizada, a quem possa ser atribuída a autoria dessa conta. “O anonimato não pode continuar nas redes sociais. A senhora pode dizer o que quiser, mas tem que ser responsável por isso e não pode fazê-lo anonimamente”, ressalta a fonte. Na sexta-feira uma delegação de estudantes de universidades entregou documento para que acabe a censura aos meios de comunicação e a perseguição que os jornalistas sofrem no país. Os estudantes alegaram que este organismo serve de “instrumento político para cercear a liberdade de expressão na Venezuela”.

domingo, 11 de junho de 2017

América/RN perde a primeira na Série D

O time vermelho e branco da capital potiguar não resistiu a pressão no pequeno estádio municipal “José Rocha”, na cidade de Jacobina, que dá nome ao clube azul e branco local.
O gol do “Jegue” da Chapada Diamantina, no oeste baiano, fronteira com Goiás, foi marcado pelo atacante Deon, aos 21 da etapa complementar. Público de 861 torcedores proporcionou a arrecadação de 15.060,00 reais.
O América continua na liderança da chave, com nove pontos conquistados nos três primeiros jogos da primeira fase. Em segundo Jacobina e Murici (seis).

O Rubro enfrenta o Sergipe, em casa, no próximo domingo. Encerra contra o alagoano Murici fora.

O império da lei na versão do ex-deputado federal e ex-vice-prefeito

Artigo publicado em Brasília, DF, no “Diário do Poder”
Por Ney Lopes de Souza
Propaga-se no país sentimento de revolta – estimulado pelos comentários da mídia –, em relação ao julgamento pelo TSE da impugnação da chapa Dilma – Temer.
As insinuações denunciam à nação, um sentimento de impunidade generalizada, em meio a espetáculo feérico televisivo, com luzes multicores, entronizando a ética e a moralidade pública, que passam a ser expostas e divulgadas à opinião pública, como valores desconhecidos pela decisão do plenário da Corte.
Tema dificílimo de ser abordado, em razão das emoções desenfreadas, que conspiram contra a racionalidade.
Há que ser destacado, por dever de justiça, o trabalho sério de todos os integrantes da Corte eleitoral, independente das convicções expostas.
Divergências são normais nos tribunais democráticos.
A ideia que transpira pós-julgamento é de que a roubalheira, as fraudes, a corrupção endêmica reveladas na Operação Lava Jato foram omitidos pela decisão de julgar improcedente a Ação de Impugnação dos mandatos Dilma-Temer .
Nada disso ocorreu.
Todos os transgressores apanhados pela Lava Jato estão sendo e continuarão a ser punidos pelos delitos praticados, independentemente do que o TSE decidiu na última sexta.
Uma coisa não tem nada a ver com a outra.
O direito dispõe de normas e regras.
Elas podem até ser imperfeitas, porém sem elas a busca da justiça se torna impossível.
Outro aspecto: o direito vive de princípios, hoje aplicados à Dilma e Michel Temer, amanhã a alguém de um rincão distante no país.
Claro que esses princípios (chamados de jurisprudência) evoluem e mudam no tempo e no espaço.
Mas eles são a bussola dos juízes.
No caso concreto do TSE estamos falando de uma ação eleitoral, de origem constitucional, e não procedimento ordinário, cível, ou penal.
Um princípio, aplicado subsidiariamente ao processo eleitoral, e que o Juiz ao julgar limita-se à “causa de pedir”, ou seja, não pode ir além.
Em matéria eleitoral, essa regra se torna muito mais rígida, por tratar-se de cassar mandatos outorgados pelo povo, em nome da soberania.
Por isso, a Constituição de 1988 estabelece no seu art. 14, § 10, o prazo improrrogável de 15 dias, após a diplomação, para ajuizamento da impugnação e exposição na petição inicial das alegações de abuso do poder econômico, corrupção ou fraude, com o fim específico de cassação do mandato.
Essa ação não se destina a punição de corruptos.
Essa ação tem por objetivo proteger a soberania popular, manifestada através do voto.
Existindo práticas de corrupção, os acusados serão denunciados e julgados com base no Código Penal e a legislação aplicável, como vem ocorrendo na Operação Lava Jato e outras.
Se por acaso, em dezembro de 2014, quando o PSDB propôs a ação contra Dilma-Temer, já existissem acusações com base em depoimentos da JBS, da Odebrecht, construtoras e acusados, desde que relacionados na petição inicial, todas seriam obrigatoriamente consideradas, no julgamento final.
Mas isso não aconteceu.
Assim sendo, o princípio vigente no direito eleitoral brasileiro, até hoje, é o de não ser possível o alargamento da causa de pedir, com a inserção de fatos novos, conhecidos depois do ajuizamento da ação.
Além do mais, um dado significativo para rejeição de novas denuncias nesse tipo de ação é que tais fatos tiveram origem em delações premiadas, portanto, acusações ainda dependentes de investigações e comprovações policiais e judiciais, ainda em andamento.
Aliás, durante o julgamento, o ministro relator Herman Benjamin a certa altura, quando houve referencia ao caso da JBS, afirmou: vamos esquecer essa JBS nesse processo, ela não faz parte desse processo, é um fantasma que está pairando aqui”.
É preciso propagar-se o entendimento, de que o último julgamento do TSE não significou o “juízo final”.
Foi apenas o entendimento, da maioria dos julgadores, de que, ao invés de inovar a jurisprudência (princípios), ela deveria ser mantida.
Talvez, o tumulto e protestos gerados na opinião pública sejam originários da permissão de divulgação ao vivo nas TVs, dos julgamentos de Cortes Superiores.
Nos Estados Unidos, por exemplo, isso não é permitido, mesmo com as polêmicas geradas.
Lá predomina o entendimento de que haveria o risco da opinião pública analisar e interpretar mal decisões tecnicamente corretas, causando desgaste para o judiciário.

No Brasil, ao contrário, esse julgamento do TSE demonstrou, que “cada cabeça é uma sentença”.

sábado, 10 de junho de 2017

O Cine Canário apresentou-me ao Batman

Nos sites e redes sociais repercute a morte, aos 88 anos, de Adam West, o terceiro ator a interpretar o personagem originado dos quadrinhos.
Conheci Batman e o parceiro Robin primeiro na telona do Cine Canário, em Cerro Corá (RN) na década de 60. Filme colorido.
Depois é que assisti o seriado derivado da película ou celulóide de 1966. Em preto e branco, pela telinha ou tubo catódico de um televisor Colorado ou Telefunker. Pela TV Tupi.
O início do Homem Morcego no cinema ocorre na década de 1940, com dois seriados. O primeiro (1943), somente com o personagem principal. O segundo (49) já com o “menino prodígio”.
O primeiro ator a interpretá-lo foi Lewis Wilson (28/1/1920 – 9/8/2000) e posteriormente Robert Lowery (17/10/1913 – 26/12/1971). Depois de West seis atores interpretaram o herói Bruce Wayne, a cara metade.
Batman surge em 39 Detective Comics, desenhado por Bob Kane. Robin (com cinco nomes de identidade secreta ao todo) aparece no ano seguinte. No famoso seriado (66/68) é interpretado por Burt Ward (6/7/45).

Enfim, inesquecível a dublagem brasileira.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Repórter americano ri ao ser informado que Bolsonaro é tachado de Trump tupiniquim

Desta esta madrugada circula na internet (Youtube) entrevista concedida a uma televisão norte-americana pelo pré-candidato a presidente da República, o deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSC/RJ). No sexto mandato. Tem 62 anos.

Ele não fugiu de nenhuma pergunta, a maioria sobre assuntos já conhecidos. As respostas foram diretas. E não mudou nada do que tem dito. Mostrou coerência. De economia a política exterior.

A entrevista exclusiva foi concedida no gabinete dele, na Câmara dos Deputados, em Brasília (Distrito Federal). Foi montado um estúdio improvisado com fundo cinza escuro e Bandeira Nacional.

Na conversa, frente a frente com o interlocutor, Bolsonaro veste camisa branca, terno escuro, e ostenta gravata listrada de branco e preto. Participa um intérprete.

Na gravação, de 34 minutos e 52 segundos, JMB não titubeia. É sucinto. Claro. Não berra. Não esparge ódio.
Em certo momento o jornalista Stephen Gibbs, da CGTV América, para o programa The World Today (“O Mundo Hoje”), ri ao ser informado que o entrevistado pelos raivosos adversários como o Donald Trump tupiniquim.


Como o redator é detalhista informa que o vídeo, até 2h30, contabiliza pouco mais de dez mil visualizações e quase 200 comentários.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

América/RN vence Jacobina, mantém 100% de aproveitamento e lidera grupo na Série D

FICHA DO JOGO

América 3 – 1 Jacobina
Data: segunda-feira, 5/6
Competição: Série D
Estádio: Arena das Dunas
Cidade: Natal/RN
Árbitro: Emerson Luis Sobral/PE
Público: 5.773
Renda: R$ 74.620,00
Gol: Jean Silva 11, Cascata 26/1, Deon 33/2 e Tadeu 46
América: Fred, Marcos Júnior (Guto), Cleyton, Paulão, Danilo Silva, Robson, Jonathas, Uederson (Robert), Cascata, Lucão (Tadeu) e Jean Silva. Treinador: Leandro Campos
Jacobina: André, Ademir (Caio), Jefferson, Thiago, Fausto, Mateus (Fábio), Janserson, Edimar, Vitinho, Ricardo Baiano (Deon) e Bruninho. Treinador: Quintino Barbosa


domingo, 4 de junho de 2017

Agentes comunistas do Foro de São Paulo no congresso petista

O sexto congresso nacional do Partido dos Trabalhadores, encerrado neste sábado, em Brasília (Distrito Federal), após três dias de propaganda política esquerdista, culminando com a eleição para a presidência do diretório nacional da senadora paranaense Gleise Hoffman, com as presenças de observadores de outros países sul-americanos, todos de língua espanhola.
O testemunho presencial, certamente, é um preparativo para o XXIII Encontro do Foro de São Paulo, marcado para Manágua, capital da Nicarágua (América Central), entre 15 e 21 de julho de 2017.

Resta saber se o ditador venezuelano, N. Maduro, irá comparecer ao encontro manipulador de mentes, face os acontecimentos em seu palco “bolivariano”. Da mesma forma o populista Lula, que espera o desdobramento de pedido de condenação pelo Ministério Público Federal no âmbito da operação “Lava Jato”.

sábado, 3 de junho de 2017

Bonitinhas, mas ordinárias, as tanquetas da GNB

Blindados utilizados contra manifestantes são importadas da comunista China
Desde que comecei a acompanhar os protestos da população Venezuela fiquei curioso em saber qual a origem daqueles carros blindados (na cor branca da paz!), usadas pela “Guarda Nacional Bolivariana” na repressão contra os manifestantes.
Na imprensa brasileira ainda não vi nenhuma reportagem sobre os veículos. Mas em sites do exterior fiquei sabendo que são fabricadas pela empresa China North Industries Corp. (Norinco).
O site China-Defesa publicou foto de um lote com dezenas de unidades com o logotipo GNB, antes de serem transportadas de trem para algum porto.
Os carros são 4 x 4 (tração nas quatro rodas). Em 2012 um lote de 141 tanques, em versões diferentes, foi adquirido pelo governo ditatorial de N. Maduro.
Em dezembro passado a GNB recebeu um lote de tanques para controlar a “ordem pública”.

Os veículos VN4 podem ser equipados com uma grande variedade de armas. Como metralhadoras. E com lançadores de potentes jatos de água, os mais usados no momento.

Os padeiros e a GMC correm da Venezuela

O regime do ditador N. Maduro é a prova cabal de mais um “desvirtuamento”, que não acaba nunca, do socialismo utópico-científico. A economia aos frangalhos e a falta de liberdade.
Primeiro correram de três a quatro mil pessoas da colônia lusa. Os padeiros.  De retorno ao arquipélago da Madeira, sendo um problemão a readaptação dos patrícios para o governo português.
Agora quem dá o até logo definitivo é a montadora norte-americana General Motors Company, do famoso acrônimo GMC. O anuncio dá cessão das operações ocorre após a medida de "embargo global" contra a sua propriedade, emitida em 18 de abril, quando as autoridades estaduais confiscaram a fábrica em Valência.

A multinacional, há 69 anos no País, disse que a decisão foi tomada devido a violação do direito de defesa e que o processo também causou danos irreparáveis ​​para a empresa e operários, resultando na rescisão das relações de trabalho.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

O micro imita o macro da política nacional

O macrocosmo dos escândalos da política nacional parece que está fazendo escola no microcosmo dos municípios. É o que se observa a partir de fontes interioranas. São os casos dos sítios Guamaré em Dia e Galinhos Online.
A bola da vez é a campanha política e a administração do prefeito de Galinhos (litoral norte potiguar, Fábio Rodrigues. Na última semana de maio estourou denúncia envolvendo a mulher do alcaide, Aracelly.
Áudios comprovariam toda a farsa e o esquema de corrupção envolvendo a chapa eleita nas eleições de 2016. Nas gravações a primeira dama cita valores que foram doados aos candidatos a vereador e não foram declarados.
De combustível para eleitores a dinheiro que pode caracterizar caixa dois para candidatos a vereador. A maior polêmica nesses áudios envolve uma pessoa que teria recebido 120 mil reais.
Faz parte da investigação a chapa “Galinhos em Primeiro Lugar”. O áudio tem duração de 27 minutos.
Além disso, pesa contra o prefeito atos administrativos, no mínimo, curiosos, como a contratação de empresa para realização de “manutenção preventiva e corretiva” com aquisição de peças para a frota de veículos próprios e à disposição da Prefeitura.
Em 20 de abril, com vigência por 12 meses, por R$ 775.000,00, é firmado, oficialmente, o acordo com a empresa Ângelo Marcos da S. Gurgel. Fabio Rodrigues homologara (10/4) contratação de “aluguel de veículos” 1.317.120,00.
A dinheirama, só com o primeiro contrato, compraria ao menos 22 carros populares ao preço de R$ 35 mil cada. Se juntar as duas contrações o valor total daria para comprar 60 carros zero quilometro. O valor é assustador para uma cidade-ilha com pouco mais de 2.264 habitantes.