sexta-feira, 29 de julho de 2016

PT usa desculpas diferentes para mudar locais da convenção municipal

Primeiro seria no Colégio Expansivo, localizado na Avenida João Medeiros Filho. Depois a escolha recaiu sobre uma casa de espetáculos, também na Zona Norte. Agora é no ginásio de esportes do DED, em Candelária.

A primeira mudança destinava-se a agrupar o grande número de pessoas que se esperava para o encontro, com a presença do ex-presidente Lula. A segunda desculpa passou a ser ao alto custo desse e de outros locais que estavam sendo cogitados.
A data foi modificada uma vez. Enfim a convenção municipal do Partido dos Trabalhadores, em Natal, será realizada na próxima terça-feira (2). Começa a partir das 19 horas, no Ginásio Professor Marcelo Carvalho, na Zona Sul da capital.

No evento político será homologada a candidatura a prefeito do deputado estadual petista Fernando Vargas Wanderley, o Mineiro. Até a quarta-feira (27), a convenção estava cotada para acontecer na North Casa Show..

sábado, 23 de julho de 2016

A atualidade de um comentário a cerca do mau político

Sobre fisiologismo ou oportunismo na política nacional

Tadeu Arruda Câmara

Economista

Você sabe o que é Fisiologismo? Calma, prezado leitor, não pretendo esnobar seus conhecimentos nem tão pouco provocar parte da população que faz da honestidade um princípio de vida.
Dirijo-me, aí sim, àquela multidão entorpecida pela mídia, sempre recebendo dinheiro com planos eleitoreiros, enfileirando-se nas zonas eleitorais, levando a famosa “cola” (nomes dos candidatos anotados) à cabine eleitoral, elegendo nossos governantes e parlamentares.
Esse tipo de eleitor, passados alguns meses, quando perguntado quais foram seus candidatos, responde: “Nem me lembro mais, foi um amigo que pediu”.
Não sabe ele que agindo dessa maneira, sem querer, torna-se cúmplice de bandidos e malfeitores que contaminam a nação brasileira.
Fisiologismo é o que está acontecendo agora, depois das posses dos eleitos, muitos deles indicando cargos para pessoas desqualificadas nas empresas do governo. A disputa maior é naquelas onde fluem mais recursos.
Essa relação incestuosa entre parlamentares, o executivo, muitas das vezes o judiciário, beneficiando pessoas e, às vezes grupos, com o poder político, tendo como moeda de troca o número de votantes, chama-se fisiologismo.
Nosso país está voltando ao tempo das capitanias hereditárias, só que com outra roupagem: o governo, agora, está loteando cargos com os partidos políticos.
Como se não bastassem as classes dos banqueiros e das construtoras, os maiores financiadores de campanhas políticas, fazedores , até mesmo, de bancadas dentro do Congresso Nacional, surge a bancada dos evangélicos que, aproveitando-se da boa-fé do nosso povo, explora o sangue de Cristo nos conchavos políticos, esquecendo os ensinamentos do Messias quando inquirido: “É-nos lícito dar tributo a César, ou não? Mas Jesus, percebendo a astúcia deles, disse-lhes: mostrai-me um denário. De quem é a imagem e a inscrição que ele tem? Responderam: de César . Disse-lhes então: dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”.
No momento, a briga é grande entre os dois maiores partidos. O PT, Partido dos Trabalhadores, que quando oposição combatia veementemente os fisiologistas, e o PMDB, partido que esqueceu os ensinamentos de Ulisses Guimarães.
Eles engalfinham-se na busca de espaço, palmo a palmo, não escapando nem mesmo nossa Previdência, maior verdugo dos nossos aposentados.
O desfibramento é grande. É tão grande, que criaram a lei chamada Ficha Limpa, com o intuito de diminuir os escândalos dos fisiologistas, não deixando o candidato bandido ser combatido nas urnas, e sim, no Judiciário.
Só que o Judiciário também tem suas manhas. Conheço um caso gravíssimo na primeira zona eleitoral em Natal que faz três anos e até agora nada de julgar.
Essa lei é tão esdrúxula que deixa margem para que um inocente seja cassado e um culpado inocentado dentro do insondável mundo jurídico.
Você já viu algum ‘mensaleiro’ ou sanguessuga preso? Foi o Arruda na operação Caixa de Pandora, mas, como boi de piranha, para mostrar que nunca neste país houve governo mais ético como este.
Fiquei perplexo quando Gilberto Carvalho, assumindo a secretaria geral, disse: “O presidente Lula poderia ter se livrado de mim em momentos críticos pelos quais passei. Jamais vou esquecer quando voltei do segundo depoimento na CPI e ele tinha atrasado uma viagem me esperando sentado na minha sala para dizer: ‘Gilbertinho, vamos tomar uma cachacinha para você esquecer essas coisas’”.
Fosse num país sério os dois estariam na cadeia. Na China, iria pro fuzilamento.


PS: comentário publicado na página de Opinião do diário vespertino O JORNAL DE HOJE (novembro de 2011) e postado com autorização do autor.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Postagem 'canta' e Naur Ferreira da Silva desiste da pré-candidatura a prefeito no município de Parnamirim

O blog ‘cantou’ em postagem anterior e acabo de ler no site Nominuto que o ex-secretário municipal de Obras de Parnamirim, Naur Ferreira da Silva, retira a pré-candidatura a prefeito.

Em nota publicada nas redes sociais, Naur Ferreira disse que irá atuar como militante junto ao grupo do atual prefeito Maurício Marques dos Santos, do Partido Democrático Trabalhista.

O anúncio ocorre três dias após a Polícia Federal e o Ministério Público deflagrarem duas operações contra supostas fraudes e lavagem de dinheiro na administração pública.

O bloco da situação agora segue com o ex-presidente do Poder Legislativo municipal, o oficial da reserva da PM, vereador Rossano Taveira.


Dois blocos oposicionistas estão praticamente definidos. Com o vereador Ricardo Gurgel e o deputado estadual Carlos Maia.

Fernando Mineiro escuta críticas ao PT calado

Encontro gera proposta mirabolante. Deputados estaduais e federais ausentes

Mesmo com a transmissão ao vivo pela TV Assembléia, o site do diário matutino Tribuna do Norte, o único a reportar a audiência pública realizada entre o final da manhã e começo da tarde desta segunda-feira, para discussão sobre a venda ou desativação de ativos da Petrobras no Rio Grande do Norte, não mencionou a ausência de um representante do governo estadual e críticas do vereador natalense Marcos do PSOL e de pelo menos dois sindicalistas ao Partido dos Trabalhadores.

Apenas políticos ligados ao PT atenderam a convocação do deputado estadual, professor Fernando Vargas Wanderley (Mineiro), entre os quais a senadora paraibana e também professora Maria de Fátima Bezerra, mais os vereadoresHugo Manso Júnior (outro professor) e George Camara (PCdoB). A senadora não ouviu as críticas a sigla petista, pois saiu antes de terminar a reunião, com o fim de participar de outro encontro político em Mossoró. Porém não deixou de falar o bordão “Fora Temer” para a platéia não tão grande.

Na reunião foram suscitadas duas propostas. Uma mais real. Outra mirabolante. A primeira seria um novo projeto de lei que institua outro marco regulatório para o setor petroleiro. A multinacional brasileira anunciou a venda de 40 campos maduros dos 68 existentes na bacia sedimentar do RN, além de paralisar a produção em pelo menos três sondas, causando a demissão e o desemprego de cinco mil trabalhadores terceirizados.

A empresa tem 43 anos em território potiguar e produziu R$ 9,3 bilhões. Em abril produziu 587 barris de petróleo. Entre 2001 e 2015 R$ 235 milhões foram destinados a pesquisa e projetos tecnológicos.


A mirabolante: a criação de uma joint venture para fundar uma empresa, envolvendo o Estado (com 25 por cento dos investimentos), investidores (24%) e Petrobras, com participação acionária majoritária.

 

Pré-candidatura de Naur Ferreira, em Parnamirim, a deriva, e outro nome poder vir do Poder Legislativo

A denúncia a semana passada, do suposto envolvimento do ex-secretário municipal de Obras, Naur Ferreira da Silva, em fraudes e lavagem de dinheiro, pode decretar a falência da pré-candidatura dele para prefeito de Parnamirim, importante por ser o segundo maior colégio eleitoral da região metropolitana da capital potiguar e o terceiro do estado.
O prefeito Maurício Marques dos Santos terá que se apressar e agilizar a escolha de um novo personagem, pois as convenções dos partidos aliados a situação se avizinha, a pouco mais de dois meses da campanha política e do pleito do primeiro domingo de outubro.
Em conversa com um repórter manjado na política local, na manhã deste domingo, via rede social Facebook, ele disse que o substituto de Naur Ferreira, poder vir da bancada de apoio a atual administração, mas questionei ser difícil um vereador com reeleição garantida ir para o sacrifício para suceder o MM no Poder Executivo.
Na manhã da sexta-feira (15), mesmo dia das operações do Ministério Público e Polícia federais, Naur emitiu nota em defesa:Fui abordado em minha residência por uma ação de um órgão de controle federal, oportunidade em que os recebi com a maior naturalidade e respeito que tenho e sempre terei a esses órgãos, certo que a verdade estará junto a mim..."
A Polícia Federal apreendeu R$ 18 mil na casa de Naur. O suposto esquema foi investigado pela Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros e Desvio de Recursos Públicos. Segundo o delegado Santiago Hounie, Ferreira fraudava contratos públicos, como de prestação de serviços e obras públicas.

Os 13 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça foram cumpridos nas cidades de Parnamirim e Monte Alegre, também na Grande Natal, e ainda de São Paulo. O cumprimento dos mandados fez parte da operação Rio Pequeno

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Camisa comemorativa do América de Natal/RN é sucesso

A camisa comemorativa lançada pelo América de Natal é um grande sucesso. Vai render ao clube receita extra de R$ 100.000,00.

Custa R$ 399,00, com a venda direcionada aos conselheiros do clube. Até terça-feira a direção contabilizava a venda de 230 unidades.

As camisas já estão sendo entregues na famosa sede da Rua Rodrigues Alves, no bairro do Tirol.

Quem se interessar em adquirir a camisa deve procurar a sede social ou ligar para o fone 3211.4326. Ainda restam 20 unidades.

Mais informações e vendas, exclusivamente com a senhora Érica.

HISTÓRIA
Fundado em 14 de Julho, o clube era azul. Foi o primeiro campeão estadual em 1919 ainda com esta cor. Na década seguinte trocou pelo vermelho.

A camisa especial azul, com listras verticais em vermelho e branco, é para se guardar. Tem o detalhe do escudo encimado por seis estrelas.

Uma primeira fila com quatro estrelas amarelas, representa o tetracampeonato 79/82 (com o último título invicto).

No meio delas uma estrela prateada. Um pouco acima uma maior. Representam o Campeão do Centenário (bi: 14/15) e a Copa do Nordeste (1998).

Para quem não sabe o América do Rio foi preto. O de Recife, verde, foi azul e branco. O de BH verde e branco ou verde e preto.


terça-feira, 12 de julho de 2016

Minha homenagem ao eclético repórter Justino Neto

Há seis anos que não me encontrava com o radialista e jornalista jucurutuense Justino Neto, a quem conheci a partir de agosto de 1982, na redação do diário matutino Tribuna do Norte.

“Justa” começou na cobertura esportiva em 74 ou 75, como plantão esportivo na Rádio Nordeste, na equipe terceirizada do famoso locutor Audi Frazão Doudment (pai de Jorge e Audi Filho, narradores), vindo da Difusora de Mossoró, depois de passagem pela emissora católica dos pernambucanos, a Olinda.

Foi da Nordeste que Justino saiu para a Cabugi, atual Globo AM, ainda como plantonista. Competente e com furos de reportagem, passou a repórter e narrador. Cobriu, praticamente, até os anos 90, todos os clubes, grande, médio ou pequeno.

Em um momento da carreira reportou a notícias do Alecrim, com as exclusivas de final de expediente na Federação de Futebol. A agenda de telefone dele era sempre repleta e atual, com os números dos profissionais, jogadores, treinadores, dirigentes, etc.

Ele chamava atenção, também, pelo porte atlético e físico, de jogador que não seguiu carreira. Antes de ser repórter, foi bancário.

Antes de 2010, quando me encontrava no semanário Jornal de Natal, recebi convite dele para ir a’O Mossoroense, mas declinei da oportunidade para permanecer com a mamãe.

Dele conto a passagem de um final de tarde de sábado. Saída da Peixada Potengi. Da Tavares de Lira. Bairro da Ribeira. Eu no banco traseiro. Ele no banco de passageiro, ao lado do massagista Furão, do ABC.

Passei a adorar os dois. Havia feito um buraco no banco do Fusca bege, novinho, com farol “Fafá de Belém”. Com cigarro. Nada disseram. Mesmo avisados de um provável incêndio. Continuamos a tomar cerveja.

Justino, ultimamente, se dedicava ao blog ESPORTE NA REDE.


domingo, 10 de julho de 2016

Carlos Eduardo Alves pode ultrapassar a vice Wilma de Faria como titular na Prefeitura

O prefeito de Natal, Carlos Eduardo Nunes Alves, caso consiga a segunda reeleição, em outubro, passa a ser o recordista no cargo de titular do Poder Executivo na capital potiguar.

Atualmente ele ocupa a função eletiva pública pela terceira vez, a exemplo da atual vice-prefeita e ex-governadora do Estado do Rio Grande do Norte também por tres vezes, uma alternada e duas seguidas.

A professora universitária Wilma foi eleita pela primeira vez em 1988, pelo PDT, e, como ainda não existia o instituto da reeleição, consegue eleger o substituto, o engenheiro Aldo Tinoco Filho.

Em 1996 ela retorna a ocupar a cadeira do Palácio Felipe Camarão, sendo reeleita em 2000, sempre pelo PSB, renunciando dois anos depois para ser eleita, pela primeira vez, governadora e reeleita em 2006.

Com a renúncia dela assume o vice Carlos Eduardo, sendo reeleito em 2004. Foi eleito, novamente, em 2012, tendo como companheira de chapa Wilma, de quem, coincidência ou não, fora ‘segundo’.

Aliados, como cabeça de chapa ou vice, em pleitos diferentes, agora Carlos e Wilma caminham separados, pois a filha de Wilma, a deputada estadual Márcia Maia, é pré-candidata a prefeita e promete seguir os passos da mãe.

Carlos Eduardo, como está acontecendo neste mandato, promete cumprir o quarto integralmente.


quinta-feira, 7 de julho de 2016

Escassez de alimentos na Venezuela lembra mesmo problema em Cuba e remete a´antiga URSS, atual Rússia

O problema da escassez de alimentos nos supermercados venezuelanos lembra a mesma situação em Cuba e vivenciada, até o começo da década de 90 do século passado, pela população da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, que deu lugar a Federação Russa.
Em comum entre a Venezuela, o governo cubano e a antiga URSS, o sistema político e ideológico que pregava e prega a economia horizontal estatizada e conseqüente ausência da concorrência e do livre mercado.
Sem mecanismo e cálculos dos preços. Sem as leis de mercado, oferta e procura, e com a falta de opção, surge o caos.