quinta-feira, 19 de outubro de 2017

‘Novo Jornal’ pode ter terceiro controlador em sete anos

No cadastro do ‘Portfólio de Mídia’ da “Meio & Mensagem” o nome de fantasia é NOVO JORNAL e a razão social “Anote – Empresa Norte Riograndense de Conteúdo Editorial Ltda.”, ainda com o antigo endereço: Rua Frei Miguelinho, 33, Ribeira. Mas a sede atual fica na Avenida Hermes da Fonseca, no elitista bairro de Petrópolis (Zona Leste).

Em 15 de dezembro de 2014 o Blog do BG informa que o jornalista Luciano Suassuna, com passagem pela revista Veja, além dos jornais O Globo e Folha de São Paulo, desembarca em Natal contratado como consultor para o processo de modernização do NJ.

Na ocasião o diário matutino mais novo da capital potiguar saía das mãos do criador, o jornalista, publicitário e professor universitário Cassiano Arruda Câmara, e dos sócios Agnelo Cândido, Paulo de Paula e Antônio Parente.

Na época o NJ é deficitário e isso foi externado na coluna dele (“Roda Viva”). Em cinco anos consumiu quase cinco milhões de reais em investimentos.

E passa o controle acionário para o empresário Luiz Hernandes e os advogados André Elali e José Henrique Azeredo.

Flávio Azevedo, principal sócio do Portal No Ar fora convidado a participar da nova sociedade, mas o negócio não prosperou.

Hernandes, Elali e Azeredo são sócios e parceiros na “Ritz Property”, grupo que atua no mercado imobiliário do Estado, “captando recursos financeiros em mercados asiáticos e europeus, como Cingapura e Inglaterra, a juros baixos, para investir em imóveis no país.”

Agora, quase três anos depois, o jornal pode mudar de controle pela terceira vez. Sintoma da situação: Arruda Câmara escreve a coluna até o final de dezembro, como noticia a jornalista Thaisa Galvão.

Ainda não se sabe, fora do círculo comercial, empresarial e de informação, quem será ou serão os futuros proprietários.

Porém há o rumor que o assessor especial da Assembléia Legislativa do RN, Bruno Giovanni, seria um dos interessados ou testa-de-ferro.

Sob a capa verde do blogueiro e o capote cinzento do poder já se fala que o jornalista Gerson de Castro estaria cotado para tocar, profissionalmente, a nova empreitada.

O NJ tem tiragem diária de 2.500 exemplares. A edição dominical sobe para três mil. O periódico é vinculado a Associação Nacional de Jornais. E filiado ao Instituto Verificador de Circulação (IVC), que audita venda em banca, assinatura e encalhe.

O “jornal novo” procura preencher o espaço deixado pelo Diário de Natal e pelo vespertino O Jornal de Hoje.  Contra o “rival” Tribuna do Norte.



sábado, 14 de outubro de 2017

Conheça um pouco do mais novo bairro de Parnamirim

Muitos ainda não sabem. Exceto os moradores ou residentes temporários, poucos estão cientes. Mas ele existe. É o mais novo bairro do município de Parnamirim (região metropolitana). Trata-se do bairro “Encanto Verde”, criado pela lei ordinária 1.786, de 14 de junho do ano passado, a partir de projeto do vereador Valério Felipe Santiago, e sancionado ainda na gestão do ex-prefeito Maurício Marques dos Santos.

O bairro fica na divisa com as vizinhas Macaíba e Natal. “Nasceu”, praticamente, de dois embriões. Primeiro em 2000. Com a construção do conjunto residencial “Parque Zona Sul” (Coophab), abrangendo uma área com 209 lotes, 21 ruas e sete condomínios. Em 2015 a empresa Estratégia Empreendimentos Imobiliários investe e vende 872 lotes, com 18 ruas, com nomes de bairros de São Paulo, a maior metrópole nacional.

A populosa comunidade tem como padroeira Nossa Senhora de Guadalupe, sendo a primeira diaconia do Rio Grande do Norte, cuja capela foi erguida na administração do diácono Francisco Júnior Feitosa. Atualmente tem como administrador o padre José Moreira de Lima, da paróquia Beato Ambrósio Francisco Ferro, do bairro Planalto.

Nossa Senhora de Guadalupe é padroeira da América Latina, cuja aparição é comemorada em 12 de dezembro. A missa dominical é realizada ás 16 horas, o terço dos homens na terça (19h30) e o louvor e adoração na quinta, no mesmo horário.


Atualmente o Conselho Comunitário é presidido por Vanise Azevedo C. Carrilho, tendo como vice Vilma Ramos Freire. A nova diretoria foi eleita em julho para a gestão que se prolonga até 2020. O novo grupo tem obtido apoio do prefeito Rosano Taveira na solicitação de benfeitorias em diversas áreas, como calçamento de ruas.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Prefeito cassado de Galinhos tenta reverter quadro difícil

No dia de ontem os advogados do prefeito afastado do município de Galinhos (litoral norte), Fábio Rodrigues, entraram com embargos declaratórios na Ação de Investigação Eleitoral, movida pelo ex-candidato José Morais Pereira e pela coligação “Um Por Todos e Todos por Um”, para que sejam esclarecidos pontos da sentença da juíza Cristiany Maria de Vasconcelos Batista, em 21 de setembro, que cassou o mandato dele e do vice Afrânio Reis Cavalcante.

Na mencionada sentença foi atribuído ao prefeito cassado e ao seu vice a conduta de fazerem 186 nomeações para cargos comissionados entre maio a junho de 2016, aí inseridas também nomeações de parentes de vereadores e captação ilícita do sufrágio.

Apesar dos prazos eleitorais serem curtos e da celeridade da Justiça Eleitoral, a demora de 20 dias entre a sentença e a peça de defesa apresentada pelos defensores do prefeito, foi, principalmente, devido à mudança do Cartório Eleitoral de Galinhos, que antes estava localizado no município de Macau e que, por determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), foi transferido para o Cartório Eleitoral do município de São Bento do Norte.

O Cartório Eleitoral, por sua vez, recebeu a peça de defesa e encaminhou o processo de imediato para parecer do representante do Ministério Público Eleitoral, que deverá, até a próxima semana, devolver o processo e emitir o seu parecer, quando, em seguida, o juiz eleitoral da Comarca de São Bento do Norte, Bruno Montenegro Ribeiro Dantas, se pronunciará sobre a defesa.

A expectativa é que a sentença que cassou o mandato do prefeito Fábio Rodrigues e do vice Afrânio Reis seja remetida para julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no máximo, até o final deste mês.

Tribunal Regional Eleitoral
O julgamento deste processo se realizará de imediato, isto é, em pouquíssimos dias, pois a pauta de julgamento deste Tribunal Eleitoral se encontra zerada.

Significa que, em novembro, os Rodrigues e Cavalcante, provavelmente, não estarão mais ocupando os cargos, caso o TRE mantenha a sentença que condenou ambos por cometer irregularidades e ilegalidades nas eleições do ano passado.

O presidente da Câmara de Galinhos, Francinaldo Silva Cruz, assumirá a Prefeitura até a realização de novas eleições,quando a população deverá escolher, pelo voto, o novo prefeito e vice-prefeito da cidade.

Mais processo
A situação política e eleitoral do prefeito Fábio Rodrigues é bastante complicada, pois o mesmo também responde outro processo movido pelo ex-prefeito Ricardo Araújo, o candidato José Morais Pereira e pela Coligação, que se encontra em andamento na Justiça Eleitoral em segredo de justiça, por ser, conforme se comenta, as acusações de prática de irregularidades e ilegalidades relevantes e de alta gravidade, praticadas pelo atual prefeito.


A previsão é que a sentença neste processo venha a ser prolatada até novembro deste ano.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Micro empresa e firma individual são os vagonetes da locomotiva

Produtos alimentícios manufaturados, de origem animal ou vegetal, são a locomotiva que puxa o trem ou comboio da iniciativa privada norte-rio-grandense.

Principalmente dos micro-empresários individuais, sendo esta uma das alternativas para o enfrentamento ao desemprego e a falta de trabalho.

Basta verificar as gôndolas e prateleiras dos grandes supermercados, lojas de conveniências, mercearias, padarias e pequenos estabelecimentos comerciais espalhados nos bairros mais afastados do centro.

As ofertas de comidas populares e regionais fazem parte da mistura que pode ser posta na mesma da classe média baixa ou dos mais pobres, no cotidiano do café da manhã ou no jantar, costumeiramente a última refeição do dia.

Numa panificadora e conveniência da Avenida São Miguel dos Caribes, no Conjunto Jiqui, no bairro de Neópolis (Zona Sul), pode-se comprar o pastelzinho de carne, com dados de fabricação (data limite de consumo e ingredientes).

A goma de mandioca, para a feitura caseira da tapioca, vem do Sítio de Dentro, zona rural do município de Lagoa Nova, na Região do Seridó, no interior do Rio Grande do Norte.

A tapioca (dos tipos molhada ou seca) e o grude, da comunidade ‘Vale do Sol’, periferia da cidade de Parnamirim, na região metropolitana da capital potiguar ou Grande Natal.

O Cuscuz de milho vem do bairro de Felipe Camarão, precisamente da Zona Oeste, uma das quatro divisões administrativas de Natal.

A manteiga do sertão seridoense. E o queijo artesanal (De coalho ou manteiga). E o soro para fazer a coalhada ou a mesma prontinha. Para consumo rápido. De Caicó.

Em um mercadinho da mesma avenida, o ‘Sabor do Sertão’, também se nota a variedade de produtos de origem sertaneja, principais coadjuvantes das marcas mais famosas e produtos industrializados das regiões mais ricas ou estados mais fortes na economia.

Ainda no mesmo logradouro, somente para mais um exemplo, o Centro Comercial do Conjunto Jiqui, localizado na central Avenida das Lagoas, há diversas lojas e mercadinhos.

O acesso principal é pelo túnel da rodovia federal da BR-101 (Neópolis), próximo ao atacado do Makro, de quem vem do centro da cidade.

Outro local com diversas lojas é o centro comercial do campo de futebol do Jiqui, na mesma avenida. Na Avenida São Miguel dos Caribes o natalense ainda pode encomendar o alto-falante ou caixa de som para seu carro, comércio ou igreja.


Sede do América é tema de tese de pós-graduação

Pouca gente sabe que a sede da Rua Rodrigues Alves, no bairro do Tirol (Zona Sul), consta fotografia da mesma na enciclopédia Delta Larousse, assim como foi alvo de tese de mestrado ou pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte pelo artista plástico Isaías da Silva Ribeiro, morador da Rua Açuí, Conjunto Boa Vista - Bairro Nordeste (Zona Oeste). O título da obra acadêmica: “América Futebol Clube (Natal/RN) – Existe uma integração das artes?”

Isaías Ribeiro faz um diagnóstico da arquitetura moderna na cidade, citando diversos prédios ou edificações, entre elas a sede social americana, tendo incluso reportagem do jornalista esportivo Everaldo Lopes, com passagens pelo DIÁRIO DE NATAL e TRIBUNA DO NORTE.

Eis o texto: - O bairro do Tirol teve duas fases: antes e depois da majestosa sede do América na Avenida Rodrigues Alves. Até o final dos anos 50 havia a pequena sede social localizada no mesmo terreno, porém com a frente para a Rua Maxaranguape.

As festas na “Babilônia” praticamente fechavam as ruas próximas ao clube e, no Carnaval, virava um pandemônio. As grandes noitadas de Momo reuniam cinco mil pessoas, que ninguém sabe como cabiam ali dentro.
A partir daí, o bairro virou zona nobre da cidade, o preço [dos imóveis] foi para as alturas. Diziam até, que ser presidente do América seu prestígio só ficava abaixo do governador e do prefeito.

HISTÓRICO
O terreno da nova sede foi adquirido em 1929 junto ao Estado, pelo presidente do clube, José Gomes da Costa (auxiliado por Orestes Silva, tenente Júlio Perouse Pontes, Clóvis Fernandes Barros e Osmar Lopes Cardoso, parente de Everaldo), com recursos próprios.

A área foi então doada ao América, abrangendo todo o quarteirão onde hoje está plantado o seu maior patrimônio, a imponente sede foi inauguração no dia 14 de julho de 1966. Com painel, no salão principal, pintado pelo norte-rio-grandense Newton Navarro.

O projeto de arquitetura data do ano de 1959, de autoria do arquiteto Delfim Fernandes Amorim (1917, Póvoa do Varzim, no Porto, Portugal), professor do curso de arquitetura da Escola de Belas Artes de Recife.
Em 1947 terminou o curso de arquitetura na escola de Belas Artes da cidade do Porto. Teve importante atuação na produção arquitetônica de Portugal e foi professor assistente na cadeira de Grandes Composições na mesma escola que se formou, durante os anos de 1950 e 1951.

Chegou ao Brasil no final do ano de 1951, fixando-se no Recife, onde residiam familiares e amigos. Faleceu em 1972, na capital pernambucana.



segunda-feira, 2 de outubro de 2017

O Barcelona e o Espanhol vão jogar contra quem?

Independentemente da política e da causa, sempre que surge assunto sobre a decisão do povo catalão escolher pela saída da união com a secular monarquia espanhola, lembro um problema que afeta diretamente os torcedores dos dois clubes de futebol de Barcelona, a capital.
O mais famoso e mais rico (cores azul e grená) tem o nome da cidade. O segundo, azul e branco, leva o nome do gentílico do maior País da península ibérica, parede e meia com o vizinho menor em território e população (Portugal).
Barcelona e Espanhol, por razões históricas que não cabe, aqui, dissecar, são rivais. Como acontece em outras cidades e capitais européias: Milan x Internazionale, Roma x Lazio, Benfica x Sporting, Rangers x Celtic, em Glasgow (Escócia), no Reino Unido.
Atualmente a Liga Espanhola é disputada por 18 clubes. E, tradicionalmente, os maiores adversários, justamente, são os dois grandes da capital, Madrid: o “merengue”, pela camisa alva, Real, e o “colchonero”, vermelho e branco, Atlético.
Configurando-se a independência da Catalunha fica pergunta: “Vão sair do campeonato?”


A mídia nova e a antiga na cobertura dos mártires de Uruaçu

Nos anos 90 e nas duas décadas seguintes, por motivos políticos, administrativo e, claro, religiosos, foi alçada, a uma maior cobertura da imprensa, rádio e televisão e, agora, pela internet (rede mundial de computadores), via portais, sites e blogs, a comemoração do Dia dos Mártires de Uruaçu, no município de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana da capital potiguar.

Porém houve um tempo em que o acontecimento histórico passado no século XVII era lembrado por um jornal ligado a Igreja Católica, “A Ordem”, fundado por pessoas componentes da Congregação de Moços Marianos de Natal, que, também, faziam parte do Centro de Imprensa da Arquidiocese.

Em 1932 o movimento “Boa Imprensa” fundou o impresso católico, que passou a ser editado três anos depois, em 35, quatro ou cinco meses antes da eclosão do movimento que ficou conhecido como Intentona Comunista (novembro), denominação criada pelo jornalista paraibano Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo.

Pois bem, é o jornal católico que informa na primeira (capa) das quatro páginas, edição 1.796 (quinta-feira, 2/10), sobre uma romaria do Seminário São Pedro ao local do morticínio praticado pelos invasores holandeses , tendo como vítimas o padre Antonio Ferro, o colono  Matias Moreira e demais moradores, com poucos sobreviventes.

Naquela ocasião a missa campal foi celebrada pelo padre Nivaldo Monte, futuro arcebispo, com acompanhamento do cônego José Adelino, depois bispo, e do bispo de Natal, dom Marcolino Dantas.

Também compareceu ao evento o escritor Luís da Câmara Cascudo. E a banda de música dos escoteiros do Alecrim. Todos recebidos pela professorinha do lugar: Judite dos Santos.